quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Para Além do Erotismo:

Servir, no fetichismo envolvido pelo D/s, possui aspectos que vão além da simples erotização. 

Há um jogo de descobertas de formas alternativas de prazer, que envolvem também o sexo, mas inevitavelmente, o respeito e desejo de satisfação do outro através de si, e de si através do outro.

O D/s é um espelho de sensações, sentido, entretanto, no tato e na sutileza.
(Dom Júpiter, 25ago15)


domingo, 8 de fevereiro de 2015

Abordando o S.S.C. (1) - Sanidade/Segurança/Consenso

Texto que postei neste TÓPICO do Grupo RE-UNIÃO, postado aqui a título de back-up e centralização:

Apesar de respeitar todas as formas de regulamentar os tratos quanto a limites entre Dom/sub (Top/bottom), adoto o SSC como minha fonte constitucional da relação.

Por quê?
Justamente por saber e entender que a alma humana persegue a liberdade de forma impetuosa, nosso mais profundo desejo é superar todos os limites até que eles não mais existam. E a única verdadeira libertação de tudo é a morte. Então, inconscientemente, é a morte que buscamos quando queremos superar COMPLETAMENTE todos os limites.
Pode parecer estranho, eu sei. Mas sim. Tão estranho quanto falar de prazer em ter as bolas esmagadas.

O SSC é uma forma de disciplinar e manter a vida. É o resquício de condições, civilidade e senso e sustentabilidade na relação SM.

Qualquer pensamento sobre o SSC é válido, pela liberdade valorativa da opinião.
  • Entretanto, acho que disciplinar as condutas por um esteio constituído de DUAS percepções sobre uma mesma coisa (Consenso), é a única forma de tentar garantir que as práticas poderão ser continuamente vivenciadas.
  • Salubridade garante que dentro de um prazo desejável, teu corpo ainda exista, sobreviva, e seja funcional para seguir sendo feliz.
  • E a Sanidade permite que tenhamos condições de avaliar essas questões com o juízo necessário.
E para finalizar:
Gostaria de levantar aqui uma bandeirola sinalizadora, pra avisar a todos, recém chegados especialmente, que o SSC AINDA É DEFENDIDO por uma boa parte dos praticantes BDSM, e por eles considerado INDISPENSÁVEL especialmente antes de se ter experiência o bastante para optar pelo RACK, TPE ou por outras formas de disciplinar ou indisciplinar as práticas.
Ou seja:
Não se joguem na fogueira, iniciantes. Formem suave e lentamente suas opiniões, considerem diversidades e as respeitem. Mas somente formem de fato suas opiniões com auxílio do tempo que passa. Não é o tipo de coisa que estamos prontos para afirmar ou refutar se bastante experiência e maturidade.

Ou façam o que bem entenderem e sejam felizes, se assim for. Apenas procure-se lembrar que as portas do Hospital, da Delegacia e do Presídio são maiores que as do "paraíso".

Abordando a DOMINAÇÃO PSICOLÓGICA (1)

Abordando a DOMINAÇÃO PSICOLÓGICA (1)

Texto que postei neste TÓPICO do Grupo RE-UNIÃO do Fetlife, postado aqui a título de back-up e centralização:

____________________________
Há bastante coisas escritas sobre DP, e nem tudo o que já li converge. Talvez pela infinidade de instrumentos e técnicas (se é que existem), para levar uma pessoa ao estado psicológico de entrega, e até mesmo através disso chegar ao comentado "SubsPace".

Entretanto, essa "diversidade" de técnicas pode ter um preço. Muito gato é levado por lebre, e muitas distorções ocorrem no meio do caminho, pela falta absoluta de uma melhor definição de que se trata de fato a DP, e quais os limites (se é que existem) de segurança (se é que existe) que podem ser respeitados para uma melhor experiência vivida na DP.

"PAIXONITE AGUDA x ENTREGA PSICOLÓGICA"
Paixão não é exclusividade BDSM, tão pouco restrita a gênero. E não são poucos os casos de subs apaixonados por seus Dominadores(as) sem qualquer pretensão de reciprocidade. Logo, torna-se fácil confundir um estado de afeto profundo com Dominação Psicológica, onde o instituto sentimental mais antigo da face da terra acaba sendo "rebatizado" por DP, que, em tese, deveria (será?) ser "outra coisa".

UM INSTRUMENTO: Múltiplas Formas de Uso .
Assim como um bela e afiada faca pode ser utilizada para cortar ingredientes de um primoroso prato na cozinha, pode ser usada por um bombeiro para salvar a vida de alguém preso no cinto em um acidente, ou numa sessão BDSM para figurar uma bela cena, ou para roubar alguém na rua num assalto. Pode ser usada para matar.
Um único instrumento, mil formas de usar. Assim é o pênis de um homem, o ego de um homem, a mão de um homem. Dá prazer, faz um filho, desgraça a dignidade de uma vítima, ou a própria. Como sua mão pode acolher, ajudar, dar prazer, ou agredir covardemente.

Mas e daí?
Assim é a DP. Pode ter um aspecto positivo, ou negativo. Por isso a diferenciação entre DP e as muitas formas de manipulação sentimentais e emocionais, inclusive com intenção de cometimento de fraudes e extorsões.
Mas vou tentar responder as minhas perguntas, com base no meu ponto de vista o que penso da DP:

>Afinal, o que diabos é de fato a Dominação Psicológica? E o que não é?
DP é uma prática que pode ser consciente ou inconsciente, em que o Dominante, exerce seu controle sobre o dominado através da indução de sua percepção, através da inserção de sensações, sentimentos e emoções provocadas por elementos cognitivos, ou seja, não necessariamente físicos. A articulação intelectiva é o foco, o exercício se dá por um conjunto de fatores, mas o uso das palavras, da voz, do olhar, e são percebidos intelectual e assimilados psicologicamente pelo dominado, que no contexto BDSM, rende ao dominante seu processo de entrega (sentido estrito BDSM). Tudo pode fazer parte da DP. Mas nem tudo faz.

>O que não é DP?
Coação não é DP. Ela se caracteriza pela indução, o que não significa necessariamente um consenso pleno, mas sim a entrega voluntária do controle das decisões. A resistência à DP é natural, e se não existir, não estamos falando de DP, e sim, de mera obediência mecânica. HIPINOSE NÃO É DP. Embora exerça poder sobre a psique, hipinose é um processo de indução cognitiva inconsciente. Embora gere controle, não gera Domínio no sentido estrito BDSM. Paixão não é DP, embora facilite a DP. Amor não é DP, embora facilite DP. 

>Será que a beleza é fator importante na DP? E caso não seja, será que não tem sido tratada como tal?
Depende da suscetibilidade e tipo de pessoa na parte passiva da Dominação. Homens tétricos perdem até o controle fisiológico diante de certas fêmeas. Legítimos ejaculadores precoces diante de qualquer forma de beleza mais primorosa. Se por um lado é difícil ficar completamente indiferente à beleza estética, por outro, ser dominado por ela tem mais de fisiológico do que psicológico. É ter o corpo muito acima da mente. Quem consegue dominar apenas pela beleza, só será feliz se contentar-se com imbecilidade.
Na minha prática de DP? Não, não é importante. E sim, vejo alguns casos bastante gritantes do uso do bom domínio dos recursos estéticos para fragilizar, discurso demagógico para catalizar, e finalmente, "dominar" prezas fáceis. Aguardem, e guardem lenços, teremos lágrimas torrenciais dentro de alguns capítulos, de um monte de gente.

>Inteligência Domina?
Não. Inteligência ajuda a Dominar. Qualidades são necessárias, e nem todas são derivadas da inteligência. Caráter e postura Dominam muito melhor.

>Será que a superioridade intelectual é indispensável na DP?
Não. Disposição sim.

>Dominação Psicológica é uma atividade consensual? Ou seria uma CAPTURA psicológica, que resulta numa "rendição"?
Acredito na gradatividade da DP, conforme experiência, consciência e domínio de técnicas e até de "talento pessoal" dos envolvidos. Acho a captura possível, e que pode levar a uma rendição quase inconsciente, do tipo que deixa a pessoa "sem saber de onde veio o caminhão". Avassaladora e inexplicável por qualquer parâmetro racional.

Acho que "quando os joelhos dobram", não há quem deixe em pé quem foi rendida(o), e Freud não explica isso. Weber menos ainda. Já o Tiririca, deve ter suas teorias.
Apenas "acontece".
Mas o consenso tem suas garantias, se não de maior "moralidade" (daquela de bom sentido), no mínimo de moderação dos fatos.

>Existem pessoas "imunes" à DP?
Não.
Existem pessoas indispostas à DP, e também as incrédulas. As indispostas são quase imunes, é verdade. Mas a vida pode mostrar com seus próprios açoites, cada um tem seu destino. Já as incrédulas, pra mim estão mais suscetíveis que as indispostas. Pois não saberão reconhecer quando acontecer, portanto, são as tipicamente atropeladas por caminhões invisíveis. Dormem em pé, amanhecem de joelhos da noite pro dia. (Dormir em pé ficou estranho... ¬¬). Mas isso SÓ ACONTECERIA se alguém habilidoso o bastante, talentoso o suficiente, se interessasse nelas. Aí deixo o cálculo da probabilidade por conta de quem tenha suas avaliações pra fazer. Eu faço meus cálculos "mentalmente", pra não ferir os brios de ninguém!

Era isso.
Entretanto, apesar de ter lá meus dogmas, sigo atento em busca de algo que me modifique, e aperfeiçoe minhas opiniões.

.:|Dom|Júpiter|:.

Notas Curtas: A Entrega


 "A entrega é um estado que vai além de uma simples decisão. Entrega é rendição ao deliciosamente inevitável. É o repouso no absoluto desprendimento da propriedade sobre si. E de tudo isso, o despontar da sensação de se estar no lugar mais justo que há no mundo".
 
( https://fetlife.com/users/512589/posts/1448501 )
.:|Dom|Júpiter|:.
08Mar13

11 Pequenos cuidados que podem valer o seu sossego

Dicas de Segurança BDSM no Meio Virtual:




1. Pense bem se usar seu perfil real para expor seus fetiches não vai lhe causar constrangimentos no futuro;



2. Quando conhecer alguém, não aceite que te exijam informações pessoais, como perfis, nome real e fotos comprometedoras, a não ser que tenha absoluta certeza de que estará em segurança. Evite chantagens.

3. Cuidado com promessas de coleiras "virtuais". Geralmente indicam imaturidade.

4. Webcam? Pois bem, pode ser gravada e postada na internet. Então cuide o que expõe. Se for agir com erotismo, reserve seu rosto. Isso vale para fotos.

5. Não passe sua senha para ninguém. Se alguém pedir, já é mau sinal.

6. Vai fazer algo e está insegura? Avise pessoas de confiança.

7. Cuidado com telefone e e-mail pessoal. Pode se saber tudo de você por estes dados.

8. Cuidado ao agir sob efeito do tesão ou do encantamento. Nossa inteligência diminui quando estamos deslumbrados.

9. Não acredite em tudo que lê. Mas dê uma chance à verdade também.

10. Experiência não é sinônimo de virtude, e inexperiência não é defeito. Mesmo pessoas experientes podem ser mal intencionadas e cretinas. E há muitos iniciantes que serão os grandes Mestres e submissas do futuro.

11. LEIA COM ATENÇÃO este texto. Pode ser que ajude. E se não ajudar, não vai atrapalhar: